Embaixada de Portugal na Colômbia

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Diretor-Geral para a Cooperação da UE visita projeto da Cooperação Portuguesa em Caquetá

photo 2018 11 21 20 46 13

O Diretor-Geral para a Cooperação Internacional e Desenvolvimento da Comissão Europeia, Stefano Manservisi, acompanhado pela Embaixadora de Portugal na Colômbia, Gabriela Soares de Albergaria, e pelo Vice-Presidente do Camões, IP, Gonçalo Teles Gomes,  visitou ontem, dia 21 de Novembro, o projeto da Cooperação Portuguesa “Territórios Sustentáveis para a Paz em Caquetá”, implementado pelo Instituto Marquês de Valle Flôr (IMVF), em parceria com a ONGD colombiana, Red Adelco. Participaram também a Vice-Ministra colombiana de Assuntos Multilaterais, Adriana Mejía, o Enviado Especial Europeu para a Paz, Eamon Gilmore, a Embaixadora da UE na Colômbia, Patricia Llombart, a Diretora da Agência Presidencial para a Cooperação (APC), Ángela Ospina, a Diretora-Geral de Cooperação, Marcela Gallardo e o Diretor da Agência para a Reincorporação e a Normalização, Andrés Stapper.

A deslocação do DG Manservisi a Caquetá incluiu uma visita à comunidade de Aguabonita em la Montañita, onde permanecem cerca de 220 ex-combatentes das FARC, organizados num Espaço Territorial de Capacitação e Reincorporação (ETCR). Foi ainda visitada a comunidade “Luz de la Esperanza”, um exemplo da metodologia da implementação deste projeto da Cooperação Portuguesa, na qual são trabalhadas simultaneamente as componentes produtiva, social e infraestruturas.

O projeto, que foi apresentado ao Fundo Fiduciário Europeu pelo governo português, procura promover a consolidação da paz através do fortalecimento do desenvolvimento socioeconómico e ambiental dos territórios amazónicos afetados pelo pós-conflito, nos municípios de El Paujil e La Montañita. Realça-se que o financiamento desta intervenção, além do Fundo Europeu e do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, IP, inclui ainda recursos provenientes das autoridades locais e de empresas portuguesas, nomeadamente da Mota-Engil.

Contribui para a melhoria do modo de vida de 2.500 produtores agrícolas, através de iniciativas agrícolas e agro-industriais, bem como infraestruturas rodoviárias, produtivas  e sociais que beneficiarão cerca de 6.500 pessoas. Em termos comunitários, esta intervenção envolverá cerca de 44 comunidades e pelo menos 50 organizações locais sociais e de base produtiva.

O Fundo Europeu para a Colômbia é um mecanismo de cooperação para o desenvolvimento criado em dezembro de 2016 com o objetivo de apoiar o desenvolvimento rural integral das zonas mais afetadas pelo conflito e apoiar também a reincorporação social e económica das vítimas e dos ex-combatentes. Este mecanismo está atualmente presente em 55 municípios colombianos através de 20 projetos já contratualizados.

Em termos financeiros, o Fundo reúne contribuições de 19 Estados Membros, no total de 96 milhões de euros, sendo Portugal um dos seus países fundadores

Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail