Embaixada de Portugal na Colômbia

Ministério dos Negócios Estrangeiros

3ª Edição da Semana do Cinema Português em Bogotá

3a semana de cine pt cinemateca bogota col

Tem início no próximo dia 29 de novembro, na Cinemateca Distrital de Bogotá, a 3ª Semana de Cinema Português, produzida e programada pela Associação Cultural Vaivém com o apoio do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, da Embaixada de Portugal em Bogotá, da Fundação Calouste Gulbenkian - Lisboa e do Malba (Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires).

É a terceira edição consecutiva deste espaço dedicado exclusivamente ao cinema luso em Bogotá, graças ao apoio do público e da crítica a uma das mais importantes indústrias cinematográficas mundiais da atualidade. 

Pensar no panorama de filmes que este ano se apresenta é, por um lado, reconhecer o estigma da crise que Portugal sofreu nas suas múltiplas formas; por outro, identificar um tipo de poética de resistência que, em primeiro plano, realça o humanismo.

Quando se pensava que o horizonte português não encontraria facilmente um sucessor para o fenómeno “As Mil e Uma Noites”, a trilogia de Miguel Gomes, aparece a aventura coletiva “A Fábrica de Nada”, de Pedro Pinho, estreada mundialmente no último Festival de Cinema, onde conquistou o prémio da crítica Fipresci e o aplauso unânime do público. Está-se perante um filme que mistura filosofia política e... cinema musical. Documenta e ficciona um processo de transformação social, uma rebelião que ensaia respostas ao capitalismo global dominante e que transcende as questões utópicas para falar de conceitos paradigmáticos fundacionais, como o futuro do trabalho. Obra realizada, escrita e produzida por uma estrutura comunitária: um realizador, quatro argumentistas e dois produtores, que compõem uma das mais promissoras plataformas portuguesas, a Terratreme.

Nesta edição destaca-se ainda o filme “Cidade” de Leonor Noivo, João Miller, Pedro Pinho e Filipa Reis, o piloto de uma série que integra um programa mais amplo e muito relevante, desenvolvido pela Fundação Calouste Gulbenkian, intitulado PARTIS - Práticas Artística para a Inclusão Social, que apoia projetos que priorizem a arte como meio de intervenção social, junto a grupos em situação de vulnerabilidade ou exclusão.

Outros destaques da programação vão para “Colo”, de Teresa Villaverde, “São Jorge”, de Marco Martins, o díptico de João Canijo “Diário das Beiras” e “Portugal, Um Dia de Cada Vez”, “O Ornitólogo” de João Pedro Rodrigues, “Correspondências” e “A15ª Pedra”, de Rita Azevedo Gomes (o primeiro sobre a correspondência entre Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge de Sena, e o segundo, um diálogo entre o realizador Manoel de Oliveira e o intelectual João Bénard da Costa), “O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu”, de João Botelho, “João Bénard da Costa: Outros amarão as coisas que eu amei” de Manuel Mozos, e finamente para a retrospetiva de curtas-metragens de Salomé Lamas. 

Mais informações sobre programação em: www.vaivem.com.ar ou www.facebook.com/semanacineportugues. Contacto: info@vaivem.com.ar

PROGRAMAÇÃO

Quinta-feira, 29 de novembro

1.00 pm - São Jorge, Marco Martins
3.00 pm - A 15ª Pedra, Rita Azevedo Gomes
5.00 pm - Cidade, Filipa Reis, João Miller Guerra, Pedro Pinho, Leonor Noivo
7.00 pm - João Bénard da Costa – Outros Amarão as Coisas que eu Amei, Manuel Mozos

Sexta-feira, 30 de novembro

1.00 pm - Colo, Teresa Villaverde
3.30 pm - A Fábrica de nada, Pedro Pinho

Sábado, 1 de dezembro

3.00 pm - O Ornitólogo, João Pedro Rodrigues
5.15 pm - Retrospectiva – Curtas – Salomé Lamas

Domingo, 2 de dezembro

1:00 pm - Diário das Beiras, João Canijo
3:00 pm - O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu, João Botelho
5:00 pm - Correspondências, Rita Azevedo Gomes

Segunda-feira, 3 de dezembro

12.30 pm - Projeção de Où gît votre sourire enfoui

Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail